Menu

Cultura ‘Antes do Brasil da coroa, existe o Brasil do cocar’, diz Alok em live com povos indígenas Yawanawá, Huni Kuin e Guarani

A apresentação faz parte do novo projeto do artista (Reprodução/ instagram)
Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – O DJ Alok se apresentou no festival Global Citizen, neste sábado, 25, junto a indígenas da etnia Yawanawá, Huni Kuin e Guarani. A ideia da performance em live era mostrar uma parte do primeiro álbum desenvolvido pelo artista em parceria com os indígenas por meio de cantos ancestrais dos povos.

“A gente aprende que o Brasil foi descoberto em 1500, quando, na verdade, ele foi invadido. O que eu descobri foi que por mais de 100 anos o que vocês fizeram foi socorrer os brancos que chegaram flagelados e doentes e curá-los. Antes do Brasil da coroa, existe o Brasil do cocar”, disse o artista.

Alok foi o segundo a se apresentar com um show gravado na Amazônia, revelando três músicas do álbum que ainda está em construção. “Foi mágico, aprendi que os cantos indígenas são as vozes ancestrais da floresta e diante do momento urgente que vivemos, devido às mudanças climáticas, é preciso ouvir o que a floresta tem a nos dizer”, declarou Alok.

Apresentação do DJ Alok em parceria com os músicos indígenas (Reprodução/ Instagram)

Aliado à causa indígena

O músico aproveitou para chamar atenção para o respeito aos direitos indígenas. “Sirvo apenas como uma ferramenta para ajudar a levar as vozes indígenas para além da aldeia, como parte de um compromisso em retribuição ao que esses povos fazem historicamente para preservar as florestas. Respeitá-los não é uma opção, mas uma reparação histórica necessária”, salientou o artista.

Em agosto deste ano, Alok esteve presente em Brasília para apoiar a mobilização “Marcha pela Vida”. Além disso, o DJ anunciou a produção de um documentário voltado aos povos originários e o vínculo com a natureza, possibilitando um caminho de preservação mais sustentável. O artista mantém oInstituto Alok, que dá apoio e participa de projetos voltados à preservação da cultura indígena.

Global Citizen

O evento internacional foi concebido para alertar causas favoráveis ao meio ambiente, tendo como objetivo chamar atenção por meio da arte, os líderes e entidades públicas sobre mudanças climáticas, fome e novos compromissos financeiros voltados a situações mais urgentes.

Ao todo, serão 24 horas de programação, que iniciou às 13h deste sábado, 25, sendo transmitido ao vivo pelo canal do YouTube da Global Citizen. A Global Citizen mescla apresentações previamente gravadas com apresentações ao vivo. São mais de 50 artistas que integram a lista de apresentações, que também serão exibidas pelo canal BIS e Multishow, além de entradas ao vivo na Rede Globo, a partir das 23h.