Menu

Sociedade Defensora Pública do AM se torna membro da Academia de Letras e Cultura da Amazônia

A solenidade para diplomação e posse dos novos membros ocorreu na noite dessa sexta-feira, 24 (Reprodução/ Instagram)
Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – A defensora pública do Amazonas Caroline Braz tomou posse da cadeira número 74, na Academia de Letras e Cultura da Amazônia (Alcama). A solenidade de diplomação e posse dos novos membros ocorreu na noite dessa sexta-feira, 24, no Auditório da Escola Superior da Magistratura do Estado, localizado no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Ao todo, são 43 novos membros que agora fazem parte da entidade, que além do ramo literário, abraça a arte e a cultura amazônida.

“Assumir esta cadeira representa o reconhecimento por tantas lutas em defesa de pessoas em situações vulneráveis, como crianças e mulheres, pessoas com deficiência, bem como público LGBTQIA+ e idosos. Fico muito feliz e meu foco sempre será trabalhar pela população mais carente. Isso nos motiva a continuar trabalhando e debatendo temas tão importantes que precisam vir à tona. Sair da casinha dos políticos que moram em palácios e não conhecem a realidade do povo sofrido”, comenta Braz.

Ao todo, foram 43 novos membros empossados na Alcama (Reprodução/Instagram)

A nova diplomada da Alcama também aproveitou o momento ímpar para homenagear a mãe, Eliane Silva, que faleceu na sexta-feira, 17, vítima de um câncer. “Acabei de perder minha mãe e foi uma oportunidade de honrá-la como minha patronesse. De onde ela está, nós sebemos bem que ela sente a mesma alegria de todos por aqui e, como toda mãe, sorri com orgulho”, homenageou a filha.

Mais mulheres

Para Caroline, a posse além de honraria traz grandes responsabilidades. Braz ressalta que as várias funções exercidas pela figura feminina no cotidiano, aliado às dificuldades enfrentadas na sociedade, principalmente quando o assunto envolve o mercado de trabalho, cargos e lideranças, a incentivam a seguir em frente.

“Sofremos para conseguir alcançar cargos de chefia, direção e cargos políticos. Sabemos a dificuldade para que a mulher ingresse na política. Então, isso torna a honra maior, mas também nos coloca como responsáveis por abrir essas portas, para que outras mulheres saibam que é possível alcançar altos, como a Academia de Letras. É uma responsabilidade muito grande abrir esse caminho para outras mulheres”, pontua a defensora.

Jornalista Mike Farias acompanhando a esposa Caroline Braz durante solenidade (Reprodução/Instagram)

Sobre a Alcama

A Academia de Letras e Cultura da Amazônia (Alcama) é uma entidade relativamente nova, com pouco mais de dois anos, vinculada à Associação Brasileira de Escritores e Poetas Pan-Amazônicos (Abeppa). A academia tem como intuito reunir artistas e figuras das mais diversas áreas, como artes plásticas, literatura, artesanato, música entre outros.

A Alcama tem como presidente o ativista cultural, professor universitário, poeta, escritor e advogado, Paulo Queiroz. Além da vice-presidência sob responsabilidade do advogado com ampla atuação em direito de imprensa, Júlio Antônio Lopes.