Menu

Central da Política Dinheiro do Fundão poderia ser usado para asfaltar BR-319, afirma Jair Bolsonaro

Bruno Pacheco

Cassandra Castro – Da Cenarium

BRASÍLIA (DF) – A afirmação de que o valor do Fundo Eleitoral de quase R$ 6 bilhões poderia ser usado na repavimentação da BR-319 foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante uma entrevista concedida à TV Brasil. Em meio à repercussão negativa da aprovação do Fundão, o presidente tem sinalizado que deve vetar o aumento de recursos para financiamento de campanhas e deu o exemplo da estrada que liga Manaus a Porto Velho. “Imagine na mão do ministro Tarcísio (da Infraestrutura) o que poderia ser feito com esse dinheiro? Poderia, por exemplo, ter concluído Porto Velho-Manaus, que é um anseio da população do Amazonas.

Para o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319, André Marsílio, as promessas de recuperação da estrada que ligaria o Amazonas ao restante do Brasil são de longa data. “Nós da Associação já acompanhamos essa novela da BR-319 há uns 10 anos. Já passamos pelos últimos três presidentes e os últimos cinco ministros dos transportes”. Ele acredita que o entrave maior para a solução da “novela” da BR-319 é a parte burocrática.

Na opinião de André Marsílio, se o presidente quisesse mesmo comprar a briga da BR-319 poderia ter baixado um decreto presidencial e determinado a repavimentação da estrada, além de cancelar também o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 2007 por diversos órgãos envolvidos na questão como o Ministério Público, Dnit e Ibama. O documento considerou a BR-319 uma estrada não pavimentada e precisou entrar em estudos condicionantes de estradas não existentes.

Para o presidente da Associação, mesmo com todo o processo demorado que avalia, entre outros pontos, o impacto ambiental da obra, neste segundo semestre, melhorando a questão da pandemia, devem ser realizadas audiências públicas para apresentar o estudo para a sociedade e, a partir disso, o Ibama aprovar o estudo para a repavimentação dos 405 km da estrada, também conhecido como “trecho do meio” da rodovia.

No início de 2021, o Ministério da Infraestrutura divulgou uma notícia a respeito dos projetos para pavimentação do trecho não asfaltado da estrada e previa o início da execução dos serviços de pavimentação ainda este ano. De acordo com a matéria publicada, o compromisso do Ministério é, “além de romper o isolamento das comunidades da região, assegurar que a BR-319 seja considerada uma obra modelo, no que diz respeito à sustentabilidade ambiental”.