Menu

Diversidade Em Manaus, Quilombo de São Benedito celebra ‘Dia da Consciência Negra’ com homenagem a líder Nestor Nascimento

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Para celebrar o Dia da Consciência Negra, no próximo sábado, 20, o Quilombo Urbano do Barranco de São Benedito, o segundo quilombo urbano do Brasil, localizado na Rua Japurá, na Praça 14 de Manaus, Zona Sul de Manaus, vai homenagear o filho do quilombo e líder negro do Amazonas Nestor Nascimento.

A programação conta com a organização da Associação de Mulheres Negras Crioulas do Quilombo Manaus. “Desde julho deste ano, escolhemos o Nestor para ressaltar a importância dele que, mesmo sendo referência para os movimentos sociais de negritude do Amazonas, teve pouca visibilidade aqui no Estado e as pessoas precisam saber sobre ele e sua relevância”, informa a associação.

Por conta da pandemia, o dia de comemoração que ressalta a importância do povo africano na formação da cultura nacional será realizado obedecendo a todas as orientações de segurança, para evitar aglomeração e possíveis contaminações pela Covid-19. “Não podemos fazer nada que aglomere, pois ainda estamos em pandemia e perdemos muitas pessoas”.

Durante o evento, que acontece desde 2006, será distribuída a tradicional feijoada feita pelos moradores da comunidade. Além disso, a comemoração terá exposição de artesanato produzido pelas Crioulas do Quilombo, apresentações de capoeira Matumbé e o conhecido pagode do Quilombo. A partir das 9h de sábado, a organização fará uma concentração para o cortejo no Quilombo, com saída prevista para as 10h da manhã.

A programação começa a partir das 9h. (Reprodução/Instagram)

Nestor Nascimento

Nestor José Soeiro do Nascimento foi um líder responsável por mobilizar a população negra do Amazonas a participar de movimentos sociais. Foi torturado na década de 1970 durante a ditadura militar e sua trajetória foi tão forte e marcante que, em 1997, foi convidado pelo então presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Bill Clinton, para discutir sobre direitos humanos.

A figura de Nestor, enquanto militante, jornalista, advogado é considerada tão importante e representativa assim como a história do abolicionista, jornalista e patrono da Abolição da Escravidão do Brasil Luís Gama. Sócio-fundador da Escola de Samba Vitória-Régia, o ícone amazonense morreu no ano de 2003, aos 56 anos.

Quilombo de São Benedito

O Quilombo de São Benedito é o segundo quilombo urbano reconhecido no Brasil. São mais de 150 famílias que residem no local existente há 130 anos, simbolizando a resistência de moradores descendentes de escravos maranhenses.

O local, considerado Patrimônio Imaterial do Amazonas, ganhou reconhecimento de segundo Quilombo Urbano do Brasil há, pelo menos, 7 anos. No bairro, há uma praça com nome de Nestor, em memória ao legado deixado por ele.