Menu

Diversidade ‘Estou apta e quero me dedicar aos trabalhos sociais’, diz a primeira miss trans de Cuiabá

A nova miss vai se dedicar para a conquista do título de Miss Mato Grosso. (Reprodução/ Instagram)

Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS- Isabelle Castro, de 27 anos, já entrou para a história dos concursos de beleza do Estado de Mato Grosso. No último dia 14 de outubro, a jovem, que sonha com um mundo menos desigual, conquistou o título de Miss Cuiabá e se tornou a primeira trans a vencer e levar o título de miss da cidade. Em entrevista à CENARIUM, Isabelle conta como foi o trajeto para ocupar e quais os planos a partir de agora.

De acordo com a nova miss, a ideia surgiu de última hora com a desistência de uma das candidatas. “Eu vi no Instagram uma publicação sobre o assunto e que tinha uma vaga sobrando, então, falei brincando que participaria. O coordenador super me incentivou e explicou que seria bom para mim e que seria a primeira mulher trans a participar do concurso, estou bem feliz”, conta Isabelle.

Maquiadora há 7 anos, a cuiabana conta que desde os 16 anos se interessa pelo universo dos concursos de beleza e pelo segmento da maquiagem e estética. “Amo minha profissão, mas comecei a me interessar por este mundo ainda adolescente e não parei mais e este é um passo muito importante na minha vida e de todos aqueles que estão comigo nessa caminhada”, ressalta a miss.

Isabelle venceu a disputa com 12 candidatas. (Reprodução/ Instagram)

Representatividade e preconceito

Durante o confinamento para o concurso, a miss revela que não sofreu nenhum ato que denotasse preconceito ou comentário transfóbico por ser a única trans a disputar o título com 12 candidatas. A recepção positiva e os incentivos deram mais força de vontade para a maquiadora continuar.

“Me sinto muito orgulhosa e lisonjeada por ser a primeira mulher trans em se tornar Miss Cuiabá e muito me alegra em servir de inspiração para outras mulheres não somente trans, mas para portadoras de deficiência, mulheres negras e todo um contexto que envolve aquelas que acham que não podem estar ali e elas podem sim”.

Porém, logo após o anúncio da vitória da candidata trans, diversos comentários de reprovação foram postados nas redes sociais do concurso. Mensagens do tipo “Não dá para levar a sério esses concursos”, “Esse concurso não tem lógica alguma e outras mensagens com teores transfóbicos não desanimam a jovem miss que vai prometer lutar pela representatividade dando voz às minorias.

Em relação aos comentários, a página oficial do concurso publicou um post comunicando que os ataques transfóbicos proferidos contra a Miss Cuiabá, será noticiado a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos nos termos da Lei 7.716/1989, e os devidos agressores serão investigados e punidos a rigor da lei.

Isabelle conquistou o título aos 27 anos de idade (Reprodução/ Instagram)

Trabalhos sociais

Isabelle revela que, com a conquista da coroa e a faixa de Miss Cuiabá, tem planos de conciliar a atual profissão de maquiadora aos trabalhos sociais e voluntários e mostrar, por meio das atividades exercidas, que está pronta para representar a cidade na disputa pelo título Miss Mato Grosso.

“Não largo meu ofício, até porque é meu ganha-pão, mas garanto que vou me dedicar e tentar ingressar nos trabalhos sociais, mostrando para a comunidade que nós, mulheres trans, não somos diferentes de outras mulheres e temos capacidade de estar presente e fazendo a diferença. Estou apta para ser a representante de Cuiabá me esforçando ao máximo para trazer a coroa de Miss Mato Grosso”, finaliza.