Menu

Sociedade Evento acadêmico debate força da tecnologia, engenharia e ciências no Amazonas

O evento é gratuito e online será transmitido na internet (Reprodução/Internet)

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com o objetivo de promover debates entre especialistas sobre o fortalecimento da área Stem (sigla em inglês para designar as áreas da ciências, tecnologia, engenharia e matemática), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por meio da Academia Stem, realiza entre os dias 17 e 18 de novembro deste ano, o Amazon Stem Academy Summit 2021. O evento é gratuito e online e será transmitido por meio dos canais no YouTube da Academia Stem e da UEA.

A primeira edição do Summit reunirá importantes nomes da academia, indústria e pesquisa, com início das atividades na quarta-feira, 17, a partir das 9h. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas no site amsummit-stem.com.br, com a garantia de receber certificado com horas de participação.

“O evento é 100% online e vai contar, em dois dias, com painéis que terão temas específicos, além de quatro a cinco professores, pessoas do mercado, pesquisadores e alunos, que vão participar e discutir cada temática que vai ser pautada. Vai ser um programa bastante interativo e que tem a intenção de ser bem prático e com uma linguagem bem coloquial, de forma a permitir a melhor aprendizagem daquelas pessoas que vão acompanhar“, explicou o coordenador do pilar de excelência da Academia Stem, José Renato Sátiro Santiago Jr.

Evento reunirá importantes nomes da academia, indústria e pesquisa (Divulgação/UEA)

Na abertura oficial do Summit, participam o reitor da UEA, professor Cleinaldo de Almeida Costa, a diretora da Escola Superior de Tecnologia da UEA (EST), Ingrid Sammyne Gadelha Figueiredo, os coordenadores da Academia Stem, Jucimar Maia da Silva Jr e José Renato Sátiro Santiago Jr., além de representantes da Samsung da Amazônia, que apoia o projeto.

Para o coordenador José Renato Jr., o momento é de abordar o futuro da área Stem e garantir, cada vez mais, melhorias e investimentos para o segmento.

“O evento tem como objetivo compartilhar as melhores práticas em prol da melhoria dos cursos de engenharia, dos métodos de aprendizagem que são utilizados. O foco visa mostrar o quanto os métodos de aprendizagem podem evoluir de forma a ter os engenheiros com maiores competências e com a formação mais alinhada com as demandas do mercado corporativo”, afirma o coordenador.

Investimento

A professora Tanara Lauschner, pró-reitora de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), é uma das participantes do painel “Por que investir em uma Engenharia de Excelência na Amazônia?” que inicia as rodas de conversa do evento. Coordenadora do projeto Super, iniciativa desenvolvida pelo Programa Stem, da Samsung, a educadora destacou à REVISTA CENARIUM nessa quinta-feira, 11, que pretende levar ao debate a importância de garantir investimento para cursos da área tecnológica na região, além da engenharia.

Tanara Lauschner frisou ainda que as áreas de tecnologia e inovação são segmentos que precisam tanto de investimento financeiro, com a disponibilização de recursos, quanto de intelectual, com a contratação de mais profissionais especialistas. Ela acredita que, com esse suporte, é possível colocar o Amazonas como modelo econômico de nível internacional, sendo um potencial desenvolvedor de soluções para o mundo.

“Quando falamos em desenvolvimento de tecnologia e inovação, estamos normalmente falando de várias áreas que têm que conversar entre si. Áreas que cada vez mais precisamos de profissionais — a gente tem um déficit gigantesco de profissionais, principalmente, nas áreas de TI [Tecnologia da Informação] — e um investimento de projetos, empresas, fomento de fundações de amparo à pesquisa para que possamos fazer com que cada vez mais jovens possam se interessar pelas áreas de tecnologia, é de extrema importância para que a gente consiga colocar o Amazonas num patamar de poder desenvolver soluções para o mundo”, destacou a Tanara.

Para a professora, é possível trabalhar a tecnologia utilizando a biodiversidade e a bioeconomia da Amazônia (Reprodução)

Para a professora, é possível trabalhar a tecnologia utilizando potencialidades locais da Amazônia, como a biodiversidade e a bioeconomia, assim como é possível falar de soluções que podem ser aplicadas em qualquer lugar do mundo.

“Com o investimento em recursos humanos que podem trabalhar soluções para serem aplicadas em qualquer lugar do mundo, estamos falando que o Amazonas pode desenvolver soluções para qualquer lugar. O desenvolvimento dessas soluções, também, não depende da proximidade geográfica e com a internet, o nosso isolamento geográfico praticamente desaparece. E eu vejo a tecnologia e as soluções de TI como um grande potencial no desenvolvimento econômico da região”, concluiu.

Programação

Na quarta-feira, 17, após a solenidade de abertura, o evento começa com o painel “Por que investir em uma Engenharia de Excelência na Amazônia?”, às 10h, com participantes de diferentes iniciativas voltadas para melhoria na formação de engenheiros no Amazonas, como o coordenador do Projeto Academia Stem, Jucimar Maia da Silva Jr, a coordenadora do Projeto Super da Ufam, Tanara Lauschner, o coordenador do Projeto Aranouá do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), Paulo Aride, e representantes da Samsung

Ainda na quarta-feira, acontecem mais dois painéis: às 14h, com o tema “Experiências na Busca da Excelência na Formação de Engenheiros”; e o segundo, às 16h, com o tema “O Papel das Organizações da Indústria na Excelência da Formação em Engenharia no Brasil”. O segundo dia de evento começa com o painel “Uma Agenda Estratégica de Inovação e Empreendedorismo nas Engenharias”, às 8h.

Às 10h, acontece o painel “ESG – Convergência Imprescindível nas Soluções, Produtos e Processos em Engenharia”. Às 14h, o terceiro painel do dia aborda a “Trajetórias dos Estudantes de Engenharia e a experiência no Academia Stem”. Após a palestra, às 16h, será a cerimônia de encerramento do evento. 

Academia

Criada em 2019, a Academia Stem busca o fortalecimento da formação nas engenharias da UEA, por meio da capacitação e formação profissional, investindo em conhecimento, desenvolvimento de habilidades hard e softskills, mudando o mindset dos profissionais em formação para melhor inserção no mercado. A Academia Stem desenvolve ações estruturadas a partir de três pilares: atração, permanência e excelência, temas que são abordados no site www.stem.uea.edu.br.