Menu

Sociedade Inverno amazônico pode acelerar terceira onda da Covid-19 no AM com aumento de casos da doença

No período do inverno amazônico, aumentam as doenças respiratórias. (Reprodução/Corpo de Bombeiros do Pará)

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com mais de 167 mil pessoas que não tomaram nenhuma dose da vacina contra a Covid-19 e mais de 280 mil que estão com a imunização atrasada, o Governo do Amazonas tenta frear um possível novo aumento de casos do novo coronavírus em Manaus. Com a chegada do inverno amazônico, os casos de síndromes respiratórias tendem a crescer no Estado nos próximos meses, podendo aumentar, também, o número de casos da doença. Uma das ações da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) para enfrentar essa previsão é ampliar a campanha de vacinação contra a Covid-19 para cinco shoppings da capital amazonense.

Em janeiro deste ano, o Amazonas passou pelo pior momento da pandemia, com alta nos casos, internações e mortes pela Covid-19. A falta de oxigênio nas unidades de Saúde de Manaus causou um colapso na rede e pacientes tiveram que ser transferidos para outros Estados para minimizar os impactos causados pela variante Gama (P.1).

Leia também: Vídeo: em Manaus, Bolsonaro critica lockdown, aglomera e ignora risco de terceira onda de Covid-19

“No período do inverno amazônico, que nós chamamos de sazonal, há um aumento das doenças respiratórias. Então, a gente precisa que as pessoas tomem cuidado, higienizem as mãos. Eu falo que a prevenção para síndrome respiratória, seja gripe ou Covid, são os mesmos cuidados”, explica o secretário de Saúde do Interior, Cássio Espírito Santo.

O Amazonas tem, hoje, 58 municípios sem pessoas internadas com Covid-19 em suas unidades de saúde. Apesar da diminuição de internações, a estrutura montada nos 61 municípios do interior do Estado continua ativa. Todas as cidades estão equipadas com as Unidades de Terapia Intermediária (UTC) e os casos mais graves são transferidos para o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na zona Norte de Manaus.

Amazonas na terceira onda

À CENARIUM, o epidemiologista da Fiocruz Amazônia, Jesem Orellana, afirmou que, a partir de análises epidemiológicas, o Amazonas já entrou na terceira onda da Covid-19 há algumas semanas. Para ele, como muitas pessoas estão vacinadas, ou já haviam sido expostas ao SARS-COV-2, a maioria absoluta dos novos casos novos não é notificada, pois muitos ficam assintomáticos ou com quadros clínicos leves e não procuram o serviço de saúde.

“Este deve ser o tom da terceira onda no Amazonas, muito mais casos assintomáticos/leves do que casos graves ou mortes por Covid-19, caso nada relevante mude na estrutura do vírus. Em outras palavras, uma fase da epidemia onde é ainda mais difícil ‘enxergar’ a disseminação viral ou uma janela de oportunidades para novas mutações ameaçadoras, como aquelas com potencial de evasão da resposta imune gerada pelas vacinas, o que seria um desastre”, explica o epidemiologista.

Leia também: Em meio à ameaça de terceira onda da Covid-19, lojistas de Manaus temem novas restrições de funcionamento

Em um gráfico, o especialista mostra que, nas últimas semanas de outubro, o número de internações aumentou em aproximadamente 42%. Segundo a Secretaria de Saúde, as pessoas que estão internadas são de pacientes que não tomaram nenhuma dose da vacina contra a Covid-19 e de pessoas que estão com o esquema vacinal atrasado.

Gráfico repassado pelo epidemiologista da Fiocruz Amazônia Jesem Orellana (Reprodução)

Orellana pontua ainda, que esse aumento de aproximadamente 42% nas hospitalizações no estado do Amazonas é “reflexo dos exagerados relaxamentos nas medidas restritivas, na falsa sensação de que vacina faz milagre” e que as ‘internações’ refletem apenas uma parte do problema.

“Estamos falando dos casos mais graves que tiveram acesso à rede hospitalar, ou seja, se temos aumento nas internações quer dizer que há mais de 20-30 dia o número de casos aumentou e que esse crescimento só não é mais visível pela precária vigilância epidemiológica do estado, em especial a laboratorial”, detalhou Orellana.

Shoppings

O secretário de Saúde do Amazonas, Anoar Samad, afirma que a iniciativa nos shoppings de Manaus é uma das estratégias utilizadas pelo governo estadual para alcançar pessoas que ainda não se vacinaram.

“Nossas equipes estarão nesses shoppings vacinando a primeira, segunda e terceira dose. A dose de reforço é para pessoas acima de 50 anos, que tomaram a sua segunda dose ou dose única há pelo menos cinco meses, e para os profissionais de saúde de qualquer idade que tomaram a sua segunda dose ou dose única há mais de cinco meses”, frisa o secretário.

A ação tem início neste final de semana e segue até o dia 21 de novembro. De quinta a sábado, o horário será das 11h às 21h, e aos domingos, das 14h às 21h. 

CONFIRA OS SHOPPINGS ONDE HAVERÁ VACINAÇÃO E QUEM DEVE SE VACINAR:

1.   Shopping Ponta Negra: Avenida Coronel Teixeira, 5705, bairro Ponta Negra. Piso L2 (próximo à loja Vivara).

2.    Amazonas Shopping: Avenida Djalma Batista, 482, bairro Chapada. Loja 364/365 (Ao lado da Ortosena, corredor da entrada do Carrefour).

3.   Shopping Grande Circular: Avenida Autaz Mirim, 6100, bairro São José Operário. Piso L3, próximo ao cinema.

4.   Manauara Shopping: Avenida Mário Ypiranga, 1300, bairro Adrianópolis. Piso Castanheiras (G6) (Em frente à Riachuelo Casa/Carter’s).

5.   Sumaúma Park Shopping: Avenida Noel Nutels, 1762, bairro Cidade Nova. Piso Japiim (1º andar), próximo à Riachuelo.