Mais da metade dos municípios do Amazonas são áreas críticas de risco a desastres ambientais

20 de maio de 2024

21:05

Isabella Rabelo – Da Revista Cenarium*

MANAUS (AM) – Uma nota técnica divulgada pelo Governo Federal identificou os municípios brasileiros que se encontram mais suscetíveis a desastres naturais, como deslizamentos, enxurradas e inundações. No documento, o Estado do Amazonas aparece com cerca de 60% de seus municípios apontados como “críticos” na lista de áreas de risco.

Tabela com muncípios críticos (Reprodução/Nota técnica)

Além disso, o levantamento revelou que 95% dos municípios amazonenses estão enquadrados como mais suscetíveis à ocorrência das catástrofes, ocupando o segundo lugar dentro da Região Norte, atrás apenas do Pará.

A Região Norte, caracterizada por inundações graduais, tem nos estados do Pará (82) e do Amazonas (59) os maiores números de municípios mais suscetíveis à ocorrência dos desastres”, destacou o escrito.

Municípios críticos no Brasil (Reprodução/Nota técnica)

O estudo, coordenado pela Secretaria Especial de Articulação e Monitoramento, ligada à Casa Civil da Presidência da República, foi solicitado pelo governo em razão das obras previstas para o novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que prevê investimentos em infraestrutura em todo o País.

O documento revela que as ameaças são originadas da urbanização rápida e muitas vezes desordenada, assim como a segregação sócio-territorial, que têm levado as populações mais carentes a ocuparem locais inadequados, sujeitos a inundações, deslizamentos de terra e outros desastres.

“Essas áreas são habitadas, de forma geral, por comunidades de baixa renda e que têm poucos recursos para se adaptarem ou se recuperarem dos impactos desses eventos, tornando-as mais vulneráveis a tais processos”, apontou o relatório.

Cenário nacional

No Brasil, o Governo Federal mapeou 1.942 municípios suscetíveis a desastres associados a deslizamentos de terras, alagamentos, enxurradas e inundações, o que representa quase 35% do total dos municípios brasileiros. 

“O aumento na frequência e na intensidade dos eventos extremos de chuvas vem criando um cenário desafiador para todos os países, em especial para aqueles em desenvolvimento e de grande extensão territorial, como o Brasil”, diz o estudo.

A nota técnica deve subsidiar as listas dos municípios elegíveis para as seleções do PAC a ser lançado pelo governo em prevenção de risco, como contenção de encostas, macrodrenagem, barragens de regularização de vazões e controle de cheias, e intervenções em cursos d’água.

Veja o documento na íntegra:
Leia mais: Crise climática global põe Amazônia em alerta para riscos de desastres
Editado por Aldizangela Brito