Menu

Economia Mosaico Interativo do baixo rio Negro oferece cursos de qualificação profissional no AM

São mais de 70 cursos que não precisam aguardar pela formação de turmas para iniciar as aulas. (Reprodução/ Divulgação)

Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – O Mosaico Interativo do baixo rio Negro, da Fundação Vitória Amazônica (FVA), continua com os serviços de cursos disponíveis a quem deseja se qualificar. Os estudos são adaptados à rotina de cada aluno, com horários flexíveis. Para isto, basta o interessado procurar a unidade da FVA, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na Rua Puduari, s/nº, quadra 253, Novo Airão (a 117 quilômetros de Manaus). O Mosaico tem objetivo de proporcionar aos moradores qualificação aliada à educação socioambiental.

Os cursos, além do foco em educação ambiental, vão desde atendente de caixa de supermercado, pacote Office, até cursos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e idiomas. “É um gama bem variado de cursos que busca atender uma diversidade bem legal de público tanto do município como de cidades vizinhas” ressalta o coordenador executivo da Fundação Vitória Amazônica, Fabiano Silva.

Silva afirma que são mais de 70 cursos que não precisam aguardar pela formação de turmas para início das aulas com atendimento e tira-dúvidas personalizados e em sala de aula. Ao todo, são 20 computadores disponíveis para a população da cidade e das comunidades de Novo Airão que vivem nas unidades do Mosaico.

“Para a população do interior, a gente cobra uma taxa de manutenção de aproximadamente R$ 35 por mês ou R$ 4 por hora de curso e para àqueles que residem nas comunidades das áreas protegidas pode-se usufruir dos serviços gratuitamente”, conta o coordenador.

Fundação Vitória Amazônica -(FVA) (Reprodução/Divulgação)

Estrutura

De acordo com coordenador, o Mosaico do baixo rio Negro se configura como um conjunto de 12 de unidades de conservação (federais, estaduais e municipais) que são reconhecidos pelo governo federal como um Mosaico. “Isso significa, basicamente, que os governos reconhecem a necessidade que esse território seja gerido de uma maneira compartilhada para buscar uma maior eficiência e impacto na gestão socioambiental do território”, explica Fábio.

A Fundação Vitória Amazônica comporta o conjunto de três serviços do Mosaico Interativo. O primeiro é o intitulado “Descarte Correto”, em parceria com uma empresa de Manaus que trabalha com reciclagem de lixos eletrônicos. Eles recebem computadores de empresas do Distrito Industrial, reciclam as máquinas para voltarem a funcionar e montam, junto ao FVA, centros de capacitação digital em diversas localidades da capital e do interior.

Em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, o local dispõe de uma sala verde com conteúdo multimídia, biblioteca para os jovens e trabalhadores da localidade que precisem utilizar dos serviços e um mezanino com quatro computadores para o uso das cooperativas locais, que auxiliam na elaboração de documentos e pesquisas.

Parte da equipe que se dedica ao Mosaico Interativo (Reprodução/ Divulgação)

“Temos, inclusive, uma jovem da etnia dessana que gerencia o Mosaico Interativo. São 150 alunos alunos certificados desde a inauguração do Mosaico Interativo”, conta o coordenador.

Outras frentes

Segundo Fabiano Silva, deste ano até 2022, o Mosaico Interativo conta com o apoio do projeto “Rotas e Pegadas: Caminhos para a Sustentabilidade do Baixo Rio Negro”, do Instituto de Pesquisas Ecológicas, em parceria com o Fundo Amazônia.

“O Mosaico Interativo é um dos componentes deste grande projeto. Isso se insere em uma frente de ação de formação de lideranças e engajamento jovem para gestão territorial. Temos outras frentes voltadas ao fomento e ordenamento do turismo nesta região e uma outra linha olhando para a questão do ordenamento das pescas diversas e toda uma avaliação de risco socioambiental para o território. É um vasto trabalho”, finaliza o coordenador.