Menu

Sociedade Mulheres diagnosticadas com câncer ganham sessão fotográfica durante evento em Manaus

Homem beija participante do evento Click Solidário na Ponta Negra. (Divulgação)

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS – Como forma de celebrar a importância da campanha Outubro Rosa, ocorreu nesse domingo, 31, o 5º Click Solidário, evento que visa elevar a autoestima de mulheres diagnosticadas com câncer de mama por meio de sessão fotográfica. O Complexo da Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus, serviu como local de encontro que teve como paisagem o rio Negro e um belíssimo pôr do sol ao fundo.

De acordo com o idealizador do encontro, jornalista e repórter fotográfico Edivan Farias, além de enfrentar a doença, as mulheres que são diagnosticadas precisam ter a autoestima trabalhada, pois são abaladas psicologicamente.

“A maioria dessas mulheres enfrenta a doença sozinha. Em muitos casos, elas passam por essa situação sem apoio dos maridos e dos familiares. Ser acometida por essa doença é algo que precisa ser trabalhado com muito cuidado e com muito amor. O Click Solidário é um evento que traz conscientização sobre a importância da prevenção. É um sentimento muito bom ver no olhar dessas mulheres a alegria que essas meninas sentem em estar participando desse projeto”, disse Edivan.

Mulher posa para foto durante Click Solidário. (Divulgação)

Durante o evento, as mulheres recebem maquiagem e orações, além das fotografias. “Temos uma amiga que já participa conosco desde o primeiro evento. Ela mora em Iranduba [a 27 quilômetros de Manaus] e vem todos os anos, ansiosa pelo encontro. Eu fico muito feliz em poder fazer isso”, completou Edivan.

Segundo a técnica de enfermagem Cinthia Damasceno, de 42 anos, o projeto veio em boa hora, já que ela havia acabado de ser diagnosticada com câncer de útero. “Fiz histerectomia total, como descobri no início, não precisei fazer quimioterapia nem radioterapia. O Click Solidário foi muito importante por na época que descobri, foi um momento crucial para mim. Eu queria ter mais uma filha. Quando fui ao médico retirar o DIU, descobri o câncer. Estou no projeto há 3 anos. O projeto veio em uma época que eu estava bem debilitada. A gente muda e isso ajuda no tratamento. Tenho um apreço muito grande pelo Edivan e por eventos como esse. Tento passar essa ajuda e mesmo não tendo mais o câncer, eu quero colaborar com esse evento pelo resto da minha vida”, disse, emocionada ao lembrar que faz acompanhamento por 5 anos.

A primeira edição do Click Solidário contou com cerca de 600 mulheres, mas devido à pandemia de Covid-19, a edição deste ano precisou ser reduzida e todos os presentes tomaram cuidados contra o vírus.