Menu

Sociedade No Maranhão, mãe e filho morrem após serem esmagados por árvore derrubada por fazendeiro

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um vídeo enviado à CENARIUM nesta sexta-feira, 12, mostra moradores de uma comunidade tradicional revoltados com a morte de duas pessoas após serem esmagadas, no Povoado Boa Esperança, em Penalva, no Maranhão. Segundo o secretário-geral do Conselho das Populações Extrativistas (CNS), Dione Torquato, trata-se de mãe e filho que morreram esmagados após um fazendeiro mandar derrubar árvores sem autorização na região.

O Povoado é uma comunidade tradicional que faz parte da Reserva Extrativista Enseada da Mata. Conforme Torquato, uma das vítimas atuava como quebradeira de coco. “Nós estamos apurando isso, a motivação, por exemplo, das derrubadas, e se as famílias estavam tentando impedir a derrubada, ou se estavam fazendo a coleta [de cocos] no momento e não tiveram tempo de sair do local”, explicou Torquato, que pontuou ainda que o Ministério Público Federal já foi acionado.

No vídeo, é possível ver os corpos das vítimas próximos um ao outro. Um deles, que aparenta ser de uma mulher, se encontra em uma posição como se estivesse sentada, no momento do ocorrido, e com cocos no entorno. Nas imagens, os dois corpos são rodeados por pessoas revoltadas com a situação.

“Nós publicaremos uma nota de repúdio ao fato ocorrido e tomaremos todas as providências, incluindo o acionamento ao Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), para que apure o que, de fato, vem ocorrendo na região”, finalizou o secretário-geral do CNS.

Assista ao vídeo:

Na entrevista para a CENARIUM, Torquato disse ainda que o fato já foi reportado também à Secretaria de Direitos Humanos do Estado e à Secretaria de Meio Ambiente do Estado. A reportagem questionou ambas as secretarias, e a Polícia Civil do Maranhão, mas não obteve retorno, até a publicação desta matéria.

Fato recorrente

No Maranhão, a prática da derrubada de árvores por tratores que arrastam a vegetação é recorrente. É comum que ativistas ambientais e defensores dos direitos humanos denunciem, através das redes sociais, casos em que grandes maquinários derrubam, descontroladamente e irregularmente, vegetações.

Nesta sexta-feira, 12, o advogado Diogo Cabral publicou no Twitter um vídeo de um trator, com “correntões” — técnica de desmatamento controversa que possibilita a rápida retirada da vegetação nativa, por meio da utilização de correntes presas a tratores — destruindo parte do Cerrado no Estado. O registro ocorreu no município de Aldeias Altas, na região leste do Maranhão.

Na quarta-feira, 10, o advogado também compartilhou outro vídeo, no qual um trator derruba um palmeiral no território quilombola de Santa Rosa dos Pretos, em Itapecuru-Mirim, no norte do Maranhão. No post, o advogado alerta que a omissão do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra) em titular o território tradicional tem resultado em “gravíssimos conflitos agrários”.