Menu

+Ciência Biogás da Amazônia pode gerar energia limpa e beneficiar 2 milhões de pessoas, diz estudo

Pesquisa mostrou o potencial do Biogás com o aproveitamento de resíduos sólidos urbanos (lixo), da piscicultura e da mandioca (Reprodução)
Bruno Pacheco – Da Cenarium

MANAUS (AM) – Um estudo inédito publicado pelo Instituto Escolhas e realizado em parceria com Escolhas o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás-ER) revelou o potencial de produção de biogás em todos os estados da Amazônia Legal com o aproveitamento de resíduos sólidos urbanos (lixo), da piscicultura e da mandioca. Segundo a pesquisa, o biogás da região pode gerar energia limpa e beneficiar cerca de 2 milhões de pessoas.

O levantamento intitulado “Biogás: energia limpa para a Amazônia” mostrou que a Amazônia tem um potencial de gerar 537 milhões de metros cúbicos de biogás, que podem ser produzidos anualmente em toda a região, sendo possível originar 1,1 TWh de eletricidade. Essa quantidade de energia, de acordo com a pesquisa, é o suficiente para atender 556 mil residências em toda a Amazônia.

Para os pesquisadores, com essa quantidade de energia seria possível atender 38% da eletricidade que hoje é consumida pelos sistemas isolados, cuja maioria estão localizados na Amazônia e que estão sem conexão o resto do País.

“Esses sistemas geram energia local por usinas que queimam combustíveis fósseis, como o óleo diesel, e que, além de serem poluentes, são caras. Os custos são de cerca de R$ 7,6 bilhões por ano, pagos por todos os brasileiros nas contas de luz”, diz trecho da pesquisa, que lembra que o biogás é uma energia limpa produzida localmente e que permite diversificar a matriz energética do País, descentralizando a geração.

Nos Estados

A pesquisa mostra que o Pará é o estado com maior potencial (31%) para a produção de biogás na Amazônia, com a geração de 168 milhões de metros cúbicos por ano, o suficiente para gerar 349 GWh de energia elétrica e abastecer 174 mil residências, beneficiando 706 mil pessoas.

Maranhão, conforme o estudo, concentra 21% do potencial de biogás entre os estados da região, podendo produzir 113,4 milhões de metros cúbicos de biogás por ano e gerar 235 GWh de eletricidade, o suficiente para atender 117,4 mil residências e beneficiar 466 mil pessoas.

Ainda de acordo com o levantamento, o Amazonas é o terceiro com maior potencial (14%) para a produção de biogás entre os estados da Amazônia, com a capacidade para gerar 77 milhões de metros cúbicos de biogás por ano. Essa quantidade representa o suficiente para gerar 161 GWh de energia elétrica e abastecer mais de 80 mil residências, beneficiando 348 mil pessoas, mais que as populações de Parintins, Itacoatiara e Manacapuru juntas.

Junto do Amazonas, está o Mato Grosso, com 14% de potencial de produção de biogás. Segundo o estudo, o estado pode produzir 77 milhões de metros cúbicos de biogás por ano, o suficiente para gerar 160 GWh de eletricidade e abastecer 80 mil residências, beneficiando 262 mil pessoas ou 40% da população da capital, Cuiabá.

Confira o estudo aqui.