Menu

Cultura ‘Vital para o controle da pandemia’, diz epidemiologista sobre cancelamento do Carnaval de rua em Manaus

Bonecos gigantes na banda da Bica, uma das mais tradicionais de Manaus (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium   

MANAUS — Em meio à chegada da nova variante Ômicron, a Prefeitura de Manaus cancelou o Carnaval de rua na capital amazonense nesta sexta-feira, 7. Em nota divulgada a imprensa, o órgão levou em consideração recomendações técnicas da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) para que sejam suspensas todas as festas e blocos de rua, inclusive qualquer autorização sanitária para as realizações deste tipo de evento também não será emitida pela FVS-AM.

Em outro trecho, o texto destaca que as festas e blocos de rua de Carnaval têm características de movimento coletivo amplo e que não há como restringir a aproximação e o contato físico, ou monitorar e controlar a obrigatoriedade do uso de álcool, máscaras e protocolos de segurança.

“Por essa razão, usando das mesmas cautelas da suspensão das festas de Réveillon em Manaus e considerando todo um conjunto de alertas sanitários, ficam os órgãos municipais orientados para todas as providências no sentido desta suspensão”, diz em nota a Prefeitura.

Veja também: Após primeiro caso da Ômicron, testagem contra Covid-19 é intensificada nas entradas de Manaus

Prevenção

O epidemiologista da Fiocruz Amazônia Jesem Orellana afirmou que a decisão é a melhor para o momento atual que o Amazonas vive, visto que a nova variante está se espalhando pelo mundo e o Brasil pode se tornar o próximo epicentro de casos já que neste momento Estados Unidos e Europa registram recorde de casos nas últimas 24 horas.

“É uma decisão difícil e que acarreta uma série de consequências negativas para o setor de cultura, lazer e até para a economia. No entanto, mundialmente, o momento epidemiológico é muito complicado e tudo pode mudar para pior no Brasil, caso relaxemos nas medidas que visam conter o espalhamento viral. Portanto, cancelar carnaval e festas de rua parece não apenas oportuno, mas vital para o controle da epidemia”, defendeu Orellana.

Vacinação

Esta semana o secretário de Saúde do Amazonas, Anoar Samad, informou que mais 400 mil pessoas no Amazonas não retornaram para tomar a segunda dose da vacina contra o novo coronavírus.

“Minha gente, nós não temos outra arma contra esse vírus, o que está proporcionando esse novo normal que estamos vivendo hoje é porque nós temos a vacina. Nós temos mais de 400 mil pessoas com a segunda dose atrasada e 600 mil pessoas ainda não tomaram a dose de reforço. Por isso, peço para que vocês divulguem para que todos nós façamos a nossa parte, vá e tome a sua dose”, afirmou o Anoar Samad.

Veja também: Filas aumentam nos postos de vacinação após chegada da Ômicron a Manaus

Ômicron

A FVS-AM confirmou o primeiro caso da nova variante em Manaus nessa terça-feira, 4, após receber relatório de vigilância genômica emitido pelo Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz-Amazônia). De acordo com a FVS-RCP, trata-se de uma mulher brasileira, de 27 anos, residente em São Paulo e que chegou a Manaus, procedente de Fortaleza, no dia 21 de dezembro, com sintomas gripais. Ao chegar na capital, realizou coleta no posto de testagem no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, onde testou positivo para Covid-19 e foi orientada para o isolamento domiciliar durante 14 dias. A paciente tinha sintomas leves de tosse e coriza e com calendário vacinal completo, incluindo a dose de reforço.