Menu

Sociedade CENARIUM transmitirá Semana de Jornalismo da Ufam; abertura do evento é nesta quarta, 13

Profissionais do jornalismo local compartilham experiências e conhecimentos com os participantes do evento (Arte: Ygor Fábio Barbosa)
Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS – “Estudantes de Jornalismo em pandemia: Configurações e Bugs” é o tema da Semana de Jornalismo que será realizada nos dias 13, 14 e 15 de outubro pelos alunos do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Em formato virtual, a programação do evento contará com a colaboração de mais de sete instituições e mais de trinta profissionais da área.

O evento será transmitido pelo canal da TV Cenarium, no YouTube, e na plataforma de streaming de vídeo ao vivo Twitch, iniciando nesta quarta-feira, 13, até a próxima sexta-feira, 15. No primeiro dia, a abertura do evento ocorrerá às 19h, com o pronunciamento do reitor da Ufam, Sylvio Puga, e do diretor da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da universidade, Alan Rodrigues.

Também vão participar da abertura do evento o coordenador do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas, Rafael Roff, a diretora de Redação do Jornal A Crítica, Aruana Brianezi, o representante da Associação de Docentes da Ufam (Adua), Antônio José Vale da Costa, e a diretora da CENARIUM, jornalista Paula Litaiff.

De acordo com a idealizadora do evento e finalista do curso de Jornalismo da Ufam, Maria Luiza Dácio, a ideia surgiu a partir da necessidade de democratizar o aprendizado adquirido na universidade pública com outros estudantes de universidades privadas e do ensino médio.

“Temos professores incríveis, produzimos um conteúdo de pesquisa que é pouco visto e sempre pensei na necessidade dessa abertura e compartilhar o que a gente faz, produz e aprende dentro da faculdade”, conta a universitária de apenas 23 anos.

Aos que desejam participar do maior evento de jornalismo universitário do Amazonas, basta se inscrever pelo site que, segundo a idealizadora, ficará disponível durante toda a programação. O evento é aberto para alunos, professores e interessados na área da comunicação.

“Alunos de todos os períodos são bem-vindos no evento. A gente tem temas bem básicos do jornalismo como apuração e factual até jornalismo especializado. O evento é abrangente, inclusive, estudantes de ensino médio que estão decidindo a faculdade e carreira podem participar e ter uma ideia do que é o universo do jornalismo”, explica ainda Dácio.

Atividades e convidados

Na agenda estão inclusas atividades como palestras, rodas de conversas, palestras e workshops com temáticas atuais voltada ao olhar jornalístico em múltiplas áreas. Além disso, terão apresentações de trabalhos divididos em artigos e produtos, com direito à premiação e publicação em um e-book temático.

Profissionais de reconhecimento nacional e regional também participam do evento. Nomes como o da jornalistas Nathalia Tavolieri (Rede Globo), Giovanna Pinheiro (Olimpíada Todo Dia), Joana Suarez, Silvia Rogar (Vogue), Daniela Assayag, Camila Leonel (A Crítica) e Paula Litaiff (Agência Cenarium) integram a extensa lista de convidados que irão compartilhar as vivências e conhecimentos do universo da comunicação.

A plataforma para transmissão dos workshops é o “Discord” e para transmitir rodas de conversas, apresentações e seminários será utilizado o Twitch.

Profissionais de reconhecimento nacional e regional participam do evento (Reprodução/Divulgação)

Sem rivalidades

Para Maria Luiza, além de possibilitar a troca de conhecimento com estudantes de todo País, o evento promove um networking acadêmico com profissionais renomados no mercado de forma gratuita, possibilitando a quebra de “rivalidade” entre alunos e profissionais de diferentes instituições.

“Vejo que há uma rivalidade, por exemplo, nos congressos. Sempre tem premiações voltadas para o ‘melhor’, o ‘maior’, isso cria um ambiente de ego que muitas vezes não é saudável. Mas acredito que a culpa não seja dos estudantes e muito menos dos professores. O ambiente nos propicia isto. No final, a gente se encontra nas redações, nas assessorias, e precisa um do outro. E ter essa troca fraterna e amigável, sem competição, é essencial para essa consciência de colaboração”, ressalta a estudante.

Critérios e formato inédito

Maria conta que os assuntos pautados durante a Semana de Jornalismo foram escolhidos de forma que abraçasse temas variados e dificilmente abordados em eventos do segmento, como jornalismo de moda, jornalismo freelancer e comunicação antirracista, sem deixar de dar espaço para um dos maiores destaques nos noticiários locais, nacionais e internacionais dos últimos meses: o caos do oxigênio em Manaus durante a pandemia.

“A gente escolheu tópicos que tratassem do tema principal do evento, que são os estudantes em pandemia, assunto que está em voga no mundo. A troca de conhecimento vem dessa ideia de intercâmbio com outras instituições da Amazônia, mas também do Brasil. Temos pessoas do Sul, Sudeste, Nordeste e esse conhecimento não engloba só o jornalismo. Nossas vivências são conhecimentos também. E resultado é sempre o jornalismo! Esse universo gigante, diverso, cheio de possibilidades”, pontua.

A universitária destaca ainda que apesar da Ufam sempre organizar eventos voltados pra comunicação, a iniciativa com colaboração de estudantes de outras unidades de ensino superior é algo novo. “O evento é de todos os estudantes de jornalismo da Amazônia. Temos estudantes de sete instituições no nosso grupo de voluntários. Cinco de Manaus, um de São Paulo e um de Rondônia. É uma felicidade enorme esse ajuntamento de estudantes”, finaliza.

Profissionais do jornalismo local compartilham experiências e conhecimentos com os participantes do evento (Arte: Ygor Fábio Barbosa)
Confira a programação em detalhes:
  • Dia 13/10 – 19h
  • Abertura
  • Roda de Conversa – ‘A crise de oxigênio em Manaus’
  • Por: Nathalia Tavolieri (Profissão Repórter-Rede Globo, Lucas Vasconcelos (A CRÍTICA) e Waldick Júnior (Ufam).
  • Dia 14/10 – 8h
  • Rodas de conversa
  • 8h às 9h: Roda de Conversa – ‘A invisibilização das lutas indígenas em grandes mídias
  • Por: Vanda Ortega, Samela Awiá e Maria Eduarda (Ufam).
  • 9h às 10h: Roda de Conversa – ‘Estudar e trabalhar: dicas para os primeiros passos’
  • Por: Aruana Brianezi (A Crítica), Daniela Assayag e Bárbara Mitoso (FBN).
  • 10h: Roda de Conversa – ‘Produção Audiovisual Amazonense’
  • Por: Bernardo Abinader, (Filmes Fita Crepe) e Gabriel Bravo
  • 11h: Roda de Conversa – ‘Os dilemas da gestão e empreendedorismo’
  • Por: Paula Litaiff (Revista Cenarium) e Elias Marinho
  • Workshops
  • 14h – ‘Dicas de sucesso para carreira acadêmica – Renan Albuquerque e Gustavo Soranz
  • 14 – Fotografia em casa – Caroline Lins
  • 14h – Joana Suarez – Jornalismo Freelancer
  • 14h – Dilemas do factual e do contexto no online – Luís Henrique Oliveira
  • 14h – Números que contam histórias: introdução ao jornalismo de dados – Gabriel Veras (Abaré Escola)
  • 16h – Comunicação Antirracista – Juara Castro
  • 16h – Jornalismo de Moda – Silvia Rogar
  • 16h – A resistência do impresso na era digital – Márcia Guimarães
  • 16h – O avanço da TV Web – Gabriel Abreu
  • 19h: Roda de Conversa – ‘De Tókyo Ao Barezão’, com Giovanna Pinheiro, Camila Leonel (A Crítica), Giovanna Airon.
  • Dia 15/10
  • 8h -10h: Roda de Conversa – ‘Representatividade LGBTQIA+ no Jornalismo’, com Átila Simonsen, Klaus Dutra, Bruno Mazieri, Malu Dácio e Thamires Clair
  • 10h-12h: Exposição de Trabalhos
  • 18h: Roda de Conversa – ‘Jornalistas, Movimentos Sociais e engajamento feminino na política’, com Bruna Brelaz, Rayane Garcia
  • 20h – Encerramento
  • 20h30 – Sarau Cultural