Menu

Sociedade Dia do Rádio: informação e entretenimento mantêm meio de comunicação na Amazônia

No meio da Amazônia, o aparelho de rádio ainda é o principal meio de comunicação (Marcos Vicentti/Governo do Acre)
Gabriel Abreu – Da Cenarium

MANAUS – Neste sábado, 25 de setembro, é comemorado o Dia Nacional do Rádio, um dos veículos de comunicação mais tradicionais na Amazônia, que por meio das ondas de radiodifusão leva às comunidades mais longínquas notícias e entretenimento. Para celebrar a data, especialistas e radialistas contam experiências e perspectivas para o futuro deste meio de comunicação.

Para a doutora em sociedade e cultura na Amazônia Edilene Mafra, o rádio manteve uma grande influência no passado, porque retirou as pessoas de um isolamento geográfico e exerceu um grande papel democrático ao incluir o povo amazônida nos debates promovidos pela atualidade.

“Por isso que o rádio não vai morrer, além de ter superado ‘trocentos’ desafios com o avanço tecnológico, ele não perde a essência humana da oralidade, de ser a grande companhia, principalmente na vida tão agitada daquela pessoa que conversa com a gente. Além de também nos manter informados enquanto fazemos outras atividades e nos trazer alegria, entretenimento e serviço”, destacou Mafra.

Edilene Mafra em seu escritório pessoal (Arquivo Pessoal/Reprodução)

Companhia

Com 29 anos dedicado ao rádio, o jornalista e radialista Patrick Motta salienta que o veículo de comunicação continua sendo o companheiro de muitas pessoas que vivem longe dos grandes centros urbanos. “O rádio vai continuar sendo o companheiro de todas as horas da dona de casa, que está em alguma comunidade no meio da Amazônia, daquele trabalhador que está ali no carro dirigindo ou se deslocando para alguma cidade. Pois as pessoas querem informações e buscam o rádio como fonte”, destacou Motta.

O radialista Patrick Motta nos estúdios da rádio Diário FM (Arquivo Pessoal)

O comunicador ainda ressaltou que recentemente a qualidade no som da transmissão passou por mudança, por conta que as rádios de Amplitude Modulada (AM) passaram para Frequência Modulada (FM). “Recentemente as rádios AM mudaram para FM para ter um som melhor. Elas alcançavam locais mais distantes, mas não tinham um som de Frequência Modulada (FM). Hoje, a gente já vê. Rádios que eram AM estão com o padrão FM, no que se refere ao som e vão continuar atingindo as comunidades. Então, o rádio só vem crescendo, ele não diminuiu”, disse Patrick.

História

ODia Nacional da Rádio é comemorado em 25 de setembro. A data lembra o nascimento de Roquete Pinto, considerado o “Pai do Rádio Brasileiro”. A primeira transmissão radiofônica no Brasil aconteceu no dia 7 setembro de 1922, na comemoração do centenário da independência brasileira.

Na ocasião, uma estação de rádio foi instalada no Corcovado, no Rio de Janeiro, para a veiculação de músicas e do discurso do então presidente Epitácio Pessoa. Atualmente, mais de 9 mil emissoras operam em todo o território brasileiro com uma cobertura de 83,8% dos domicílios, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Rádio e Televisão (Abert).