Menu

Central da Política ‘Discutir eleição não é só procurar nome, é debater projeto de País’, afirma Marina Silva à CENARIUM

Wesley Diego – Da Revista Cenarium

SÃO PAULO – O Programa CENARIUM ENTREVISTA ESPECIAL deste sábado, 20, traz uma conversa com a ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente do Governo Lula, Marina Silva. Por meio da plataforma Zoom, a conversa contou ainda com a presença da diretora-executiva da CENARIUM, Paula Litaiff. Na ocasião, Marina falou que não descarta ser a candidata da Rede Sustentabilidade ao Planalto ano que vem e avalia que, seja quem for o candidato, “será escolhido de acordo com os problemas que estamos vivendo”, como a crise econômica e o desemprego em alta.

“Discutir eleição não é só procurar nome, é debater projeto de País. Eu já fui candidata por três vezes e o que eu estou me dispondo, neste momento, é participar do debate para que em lugar de discutir apenas como ganhar o poder, a gente discuta como reverter essa situação de degradação que o nosso País está vivendo”.

Marina foi candidata à presidência, pela primeira vez, em 2010, pelo Partido Verde (PV), onde chegou após 24 anos de militância no Partido dos Trabalhadores (PT). Ela deixou a legenda em um comunicado manifestando seu desacordo com as políticas ambientais do então governo em que era ministra do Meio Ambiente. Em 2014, aceitou compor chapa com o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, como vice-presidente. Porém, um fatídico acidente aéreo matou o ex-mandatário do PE e obrigou Marina a assumir a campanha do PSB (Partido Socialista Brasileiro).

Em 2018, já pela Rede (sigla idealizada por Marina) foi para sua terceira tentativa de chegar ao poder. Neste ano, obteve seu pior desempenho com 1.069.575 votos, chegando em 8º lugar na disputa (em 2010 e 2014 ficou em terceiro lugar). Entretanto, mesmo não negando a vontade de ser novamente presidenciável, Marina critica quem já se colocou no jogo eleitoral de 2022. “Essa postura de ficar na fila esperando, querendo ser você o candidato, você o escolhido, é o que tem levado o Brasil a não discutir projeto, leva o Brasil a discutir pessoas”.

Centrão

A ex-senadora também não poupa críticas ao Centrão, conjunto de partidos que não possui uma orientação ideológica específica. Julga que as siglas são oportunistas, por sempre estarem na base do governo da vez e acusa Arthur Lira, presidente da Câmara, de institucionalizar o Mensalão via orçamento secreto na Câmara. Recentemente, os deputados aprovaram a PEC dos Precatórios que, na prática, libera o governo de pagar dívidas judiciais e destina o montante de R$ 91,6 bilhões para outras demandas de Bolsonaro, como a distribuição secreta de dinheiro aos congressistas.

“Do Centrão, a gente se livra com um projeto de País que não contemple o uso dos recursos públicos em benefício de grupos que querem se perpetuar no poder. O Centrão é uma coisa difusa, com vários parlamentares que aprovaram um ato normatizando o Mensalão… e o Bolsonaro, mesmo sendo pária, consegue manter uma base de sustentação até espantosa diante de tantos crimes que são cometidos”, fala Marina.

‘Bolsonaro é de má-fé’

Marina acusa Jair Bolsonaro de agir de má-fé com o assunto meio ambiente. Para a ex-ministra, o presidente usa o discurso negacionista para lançar mentiras sobre o tema. Quando questionada pela reportagem se o presidente é ignorante no tema ambiental, responde: “Bolsonaro é de má-fé. A Amazônia é uma floresta úmida e, com certeza, não temos incêndios naturais, mas nós temos os incêndios artificiais “. Marina se refere à fala do presidente nesta semana, em Dubai, onde ele afirma que a Amazônia não pega fogo por ser uma “floresta úmida”.

No entanto, as afirmações de Bolsonaro sobre a Amazônia contrastam com relatórios recentes do MapBiomas indicando que, entre 1985 e 2020, 16,4% da floresta havia sido queimada pelo menos uma vez. Na sexta, 12, o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) alertou que o desmatamento da Amazônia Legal, em outubro de 2021, foi o maior para aquele mês nos últimos sete anos. Foram 877 km² de devastação, aumento de 5% em relação a outubro de 2020.

Confira a íntegra da entrevista no canal da CENARIUM no YouTube:

Entrevista com Marina Silva está disponível no canal da CENARIUM, no YouTube.